Folha da Cidade 281
Acesse Nossa
Edição Online
Clique na capa para abrir
Ínicio / Artigos / Caraíba

Caraíba

Nilda Barros Martins

Mês de agosto.
Sol quente a pino.
Calor incessante.
Estrada poeirenta.
A caraíba surge.
Lá no alto.
Flores amarelas.
Simbolizando, para mim,
Alegria, esperança.

Bem a seus pés,
Um pedaço de chão,
Que foi desmatado,
Árvores frondosas
Que foram derrubadas.
Que viraram cinzas.
Cheiro de queimado.
Fumaça rumo ao céu.
Mais uma lavoura de soja
Que surgirá.
Hoje terra vermelha,
Amanhã ramagens verdes.
Grãos amarelos.
Fartura. Riqueza.
As flores da caraíba de um amarelo intenso,Sensíveis ao sol escaldante
E à poeira vermelha,
Começam a murchar.
Caem.
A caraíba se despede,
Até à volta.
Até agosto do próximo ano.
Como eu gostaria
Que você para sempre
Neste cenário ficasse.
Para que eu pudesse
apreciá-la
Todas as vezes
Que eu por aqui passasse.

Eu fico pensando
Até quando,
Ó caraíba!
Você resistirá
Tão bonita e tão só
No meio do caminho?

*Caraíba – Do tupi= ‘bento’, ‘sagrado’. Árvores típica do cerrado, da família das bignoniáceas (Tabebuia caraíba), de casca suberosa e grossa.

Sobre Equipe JFC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *