Folha da cidade 287
Acesse Nossa
Edição Online
Clique na capa para abrir a versão Flip Clique aqui para abrir a versão PDF
Ínicio / Artigos / GONZAGA JAYME O Baluarte da Justiça, da Literatura e da Cultura Rio-Verdense

GONZAGA JAYME O Baluarte da Justiça, da Literatura e da Cultura Rio-Verdense

O amigo Gonzaga Jayme foi um grande baluarte em nossa terra: ícone da justiça, da cultura, da literatura e da cidadania. Ele era intrépido comentarista radiofônico, defendia os interesses públicos de nossa cidade, falava sempre a verdade, era um homem incansável na busca da transparência, da moral e da dignidade humana.
Gonzaga Jayme gostava de crianças, ele dizia que as crianças eram puras e o adulto era corruptível. Ele foi um homem que fazia caridade porque tinha o amor de Deus em seu coração.
Dr. Gonzaga, como era chamado por todos, era detentor de inigualável cultura, tinha ideias incontestáveis para dignificar a vida, (re)significar a antropologia humana e colaborar no processo civilizatório. Ele foi um homem que preferiu ser do que ter grandes fortunas, amava sua biblioteca pessoal, era apaixonado por livros, exímio leitor, orador voraz, articulista em jornais e militante político.
Gonzaga Jayme era muito honesto, foi brilhante e dedicadíssimo advogado, de alto gabarito jurídico e Secretário de Segurança Pública do Estado, defendia e fazia cumprir a lei natural do homem e tinha o temor de Deus em seu coração.
Pela manhã, ele gostava de ouvir notícias de Rio Verde e curtir o badalo do seu relógio de parede, que badalava de hora em hora, quase que concomitante com o badalo da Igreja São Sebastião. Lembro-me que em todas as vezes em que eu ia a seu escritório, Gonzaga Jayme era amável, me mostrava seus poemas líricos (muitos deles ainda inéditos), falava com carinho de seus filhos, em especial de sua falecida esposa. Tive essa familiaridade com ele porque cresci naquela rua da Praça “Marechal Castelo Branco”, hoje Praça “José Maria Barros”.
Ele sempre me dizia: “enquanto ser vivo, o homem deve respeitar seu semelhante, saber se conduzir como pessoa, amar o próximo, a liberdade, ter domínio de suas paixões e ter fé na paz celestial. Enquanto ser vivo, o homem deve acreditar no casamento, amar, procriar, cuidar da educação das crianças e conservação da espécie, além de obedecer as autoridades, representantes políticos que asseguram o bem comum da sociedade.”
Gonzaga Jayme foi membro fundador da Academia Rio-Verdense de Letras, Artes e Ofícios, Cadeira nº 7 e teve o privilégio de instituir como seu patrono, o seu trisavô, Sr. Luiz Gonzaga de Camargo Fleury, Presidente da Província de Goyaz e redator da “Matutina Meiapontense”, o primeiro jornal do Estado.
Gonzaga Jayme cumpriu a travessia, partiu para a outra margem do Rio da Vida, mas seus filhos presentearam a ARLAO com estantes e grande parte do seu memorável acervo bibliotecário, para compor, oficialmente, a Biblioteca “Dr. Gonzaga Jayme”.
Nosso adeus e nossa saudade ao eterno amigo Gonzaga Jayme, comentarista de radiodifusão e grande confrade, pessoa de quem me orgulho e que tenho a honra de ser o 2º ocupante de sua cadeira, no dileto sodalício da Academia Rio-Verdense de Letras, Artes e Ofícios – ARLAO.


  • Paulo Ananias da Costa – Professor de Língua Inglesa e Literatura Americana. Tadutor. Bacharel em Teologia. Cônsul da Associação Internacional Poetas Del Mundo. Membro da Academia Interamericana de Literatura e Jurisprudência e Academia de Estudos Literários e Linguísticos de Anápolis – GO, Cadeira nº 0383 – Patrono Augusto Meyer (1993); Associação Internacional Poetas Del Mundo, nº 1959 (2003); Instituto Brasileiro de Culturas Internacionais – INBRACI – Governadoria da Regional Distrital de Goiás em Rio Verde (2005); Academia de Letras do Brasil – ALB, Seccional de Rio Verde, Cadeira 10, Patrono Gonzaga Jayme (2011); Academia Rio-Verdense de Letras, Artes e Ofícios – ARLAO – Cadeira 7 – Patrono Luiz Gonzaga de Camargo Fleury (2018). Escritor. Ensaísta. Memorialista. Historiador. Intelectual. Pensador. Ativista Cultural. Contista. Ficcionista. Orador, Poeta. Biografado no Dicionário Biobibliográfico de Goiás, de Mário Ribeiro Martins (1999) e Rio Verde e suas Personalidades – Memorial I: ARLAO (2009). Presente na Estante do Escritor Goiano, do Serviço Social do Comércio e textos de estudos linguísticos. Vencedor de concursos literários de poesia. Articulista em jornais e Revistas. Autor da Gramática Inglesa ENGLISH GRAMMAR OF ORIGINAL – fale inglês com Paulo Ananias e Poemas para Rio Verde.

Sobre Equipe JFC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *