Home / Notícias / Entrevista com Chico do KGL pré-candidato a Deputado Estadual

Entrevista com Chico do KGL pré-candidato a Deputado Estadual

Francisco Grimaldi de Lima, mais conhecido como Chico do KGL é atualmente vice-prefeito de Rio Verde e, licenciado do cargo, é pré-candidato a uma vaga na Assembleia Legislativa do Estado de Goiás, como deputado estadual. Natural de Alexandria- RN, Chico veio para Rio Verde há muitos anos, trabalhou muito e conseguiu montar o seu próprio negócio, se estabeleceu no município como empresário e ficou conhecido pelas pessoas mais humildes devido à sua atenção e carinho dispensados a todos.

Entrevista com Chico do KGL pré-candidato a Deputado Estadual

  1. Por que você decidiu sair candidato a deputado?
    Chico. Quando eu fui convidado para ser vice-prefeito eu confiei na palavra do Dr. Paulo que cumpriu tudo aquilo que havíamos conversado. O governo está andando, o prefeito está trabalhando. Fiquei um ano e três meses na Secretaria de Ação Urbana, tive que me afastar, eu senti que eu sendo eleito deputado estadual ajudaria muito mais o prefeito e o município, trazendo benefícios para a população. Nós estamos sentindo a ausência dos deputados, sem ter aliados na base, sem verbas do governo e isso não está sendo bom para o município, já que nós temos essas verbas.  Tudo o que o prefeito está fazendo é com recursos do município, só do contribuinte e nós temos essas verbas lá, tanto do governo do estado como federal, em Brasília. Por isso a importância da minha candidatura, o prefeito precisa de aliados para estar ali trabalhando do seu lado e ajudando ainda mais, assim como o próprio governo do estado. Estamos sentindo que não vem nada pra Rio Verde. Uma cidade que cresce, que está aí com tanto desenvolvimento como Rio Verde, precisa ter representante, por isso eu coloquei meu nome à disposição.
  1. Você é aliado do prefeito Paulo do Vale, assim como do candidato à governo Ronaldo Caiado. Como você vê essa aliança na sua candidatura? Ela te ajuda ou não?
    Chico. Demais, a minha eleição depende dessa aliança, depende do prefeito, depende do que está acontecendo no Estado e do Ronaldo Caiado. A população está querendo essa mudança, está cobrando mudança. Isso está nos ajudando muito. Sem o apoio do prefeito seria inviável a minha candidatura. E é isso que estou vendo hoje no cenário político, a nossa eleição e nós temos chances reais de ser leito, com o apoio do prefeito e de todos os companheiros de Rio Verde.
  1. Você tem andado por várias cidades do Estado, principalmente no Sudoeste Goiano. O que as pessoas têm reivindicado mais, Chico?
    Chico. O sentimento da população é de mudança. Todo lugar que você chega as pessoas falam que não aguentam mais. Nós não estamos no fim de um governo, mas de duas décadas, de vinte anos em que o governo promete, passa eleição renova as promessas. Chega a eleição ele inicia uma obra, termina a eleição ele paralisa a obra. São quatrocentas obras paradas no Estado de Goiás. E em Rio Verde? O que o governo trouxe para nós em vinte anos? Não terminou o Anel Viário, o Colégio Cunha Bastos, isto é uma vergonha, pois os melhores médicos e advogados de Rio Verde passaram pela Escola Cunha Bastos, uma escola que está há oito anos parada, incomodando a população com a poeira. Nós vamos terminar essas obras. Vamos construir o CREDEQ, cuidar dos menores infratores que hoje não têm para onde ir e ficam pela cidade porque não tem onde colocá-los; são apreendidos, voltam para casa e acabam por aí cometendo os mesmos crimes. É isso que precisa, terminar as obras inacabadas e trazer mais recursos como saúde, segurança, educação. 30% dos professores hoje estão com depressão, precisando de um tratamento médico e o governo corta tudo, não investe na educação, não investe num policial, na saúde. O governo está devendo cinco milhões para Rio Verde, para a saúde e este é um dinheiro nosso. Por isso Rio Verde precisa ter uma voz de Rio Verde para estar cobrando e trazendo esses benefícios. O prefeito não trabalha sozinho, ele precisa das pessoas daqui para trazer esses recursos. Ele está trabalhando muito com recursos do município, mas para isso ele teve que sacrificar, mudar muitas coisas e teve as prioridades. Tem muitas cobranças que ele não teve como fazer porque está tendo prioridades, é um ano e meio de governo e todos sabem a situação em que pegamos o município. É para isso que eu peço, que eu quero ser deputado, não é por vaidade, é para ajudar, porque do contrário eu ficaria tranquilo como vice-prefeito, mas estou vendo a dificuldade e a necessidade de ser esse representante.
  1. Quando você iniciou na política muitos disseram que você era o candidato do setor norte de Rio Verde, o candidato dos nordestinos. Hoje o Chico do KGL tem penetração em todos os setores da sociedade rio-verdense?
    Chico.  Sim. Você sabe que tenho aceitação em todos os segmentos. Sou candidato porque a população quer que seu seja candidato. Foram feitas pesquisas, vários nomes foram colocados à disposição e a população pediu o meu nome. É por isso que estou aqui e isto prova que além de representar os nordestinos eu represento também o empresariado, o trabalhador, as pessoas mais humildes, mais sofridas e já fazem vinte e cinco anos que estou aqui nesse bairro. Chegando em Rio Verde morei primeiro na Promissão, por pouco tempo e depois vim para o Bairro Martins e nunca mais mudei nem de rua, moro na mesma rua. Eu sei a dificuldade das pessoas, eu conheço e tenho vontade de ajudar essas pessoas e é por isso que estou caminhando, querendo ajudar e trabalhar, não é por vaidade não.
  1. Quando lá atrás o nome de Chico do KGL foi cogitado para vice-prefeito, ainda de Juraci Martins e depois de Paulo do Vale, alguns setores da imprensa perguntavam quem é Chico do KGL. Hoje a imprensa te trata diferente, Chico?
    Chico.  Sim. Hoje a Imprensa conhece o Chico do KGL e sabe do nosso potencial. Não foi por acaso que fui vice-prefeito. A nossa vitória não foi por acaso e tudo isso faz com que a Imprensa reconheça porque Rio Verde sempre foi uma cidade muito fechada, mantinham-se as tradições políticas; se tivesse dinheiro poderia ser candidato, senão você perderia as eleições. Hoje a população não aceita mais isso. Estou andando pelo Estado todo, pelos municípios e quando chega alguém com dinheiro, dizendo: “vou te dar tanto para você conseguir votos”, as pessoas correm. É muito difícil você trabalhar para uma pessoa que não te passa confiança, como o atual governador que está há vinte anos comprando, pagando e depois nem recebe o representante do município. É isso que tem acontecido em vários municípios e o meu apoio está vindo de forma espontânea. Toda vez que chego em alguma cidade com Ronaldo Caiado, quando estou indo embora alguém vem pedir meu telefone e oferecer ajuda. O povo quer mudanças e ainda acredita nas pessoas e é por isso que ganhando as eleições queremos fazer um trabalho diferente, sem decepcionar aqueles que confiaram em nós.
  1. Alguns setores da imprensa disseram que você ia sair candidato agora a deputado estadual já com olhos nas eleições de 2020 para prefeito. Há alguma verdade nisso? O que você nos tem a dizer sobre a possibilidade de uma candidatura em 2020 a prefeito de Rio Verde?
    Chico.  A possibilidade é zero. Não tem como você ficar disputando a cada dois anos. Estou sendo candidato agora por necessidade, por ver as dificuldades e outra, o Dr. Paulo precisava de alguém do grupo, ele não disse: “vai ser o Chico”, ele apontou vários nomes e na hora ele falou: “Chico, eu preciso de você, agora é você, eu não havia anunciado, tinham mais pessoas, mas como nós precisamos de alguém, você será o nosso candidato.” E é isto que está sendo feito. A pior coisa é um deputado estadual ou federal, no meio de seu mandato, disputar eleição. Estou vendo que os deputados que disputaram eleição para prefeito estão sofrendo agora. Você chega num município e ouve: “eu votei no fulano na eleição passada, na eleição para prefeito e vereador eu ligava para ele, ele nunca atendia. Sabe o que eu queria? Que ele viesse aqui dizer que eu tinha ajudado ele”. Esse é o sentimento das pessoas. Nós temos que trabalhar com os pés no chão, o Dr. Paulo é contra reeleição, mas a população precisa dele mais quatro anos. Não vai dar tempo de fazer tudo o que a cidade precisa em quatro anos. O correto seria que ele ficasse oito anos para que a cidade possa ficar organizada. Eu vejo que nós temos mais pessoas e essa política de ficar nas mãos de poucos, de vai e volta, está com os dias contados, precisamos renovar e fazer novas lideranças. Em 2020 nós precisamos do Paulo. Sei que vai haver alguma resistência por parte dele, mas a população pede e o grupo também precisa. Mário Covas quando foi governador de São Paulo ficou dois anos brigando contra reeleição e quando chegou o período eleitoral ele resistiu, dizendo que não queria se reeleger. Quando colocavam qualquer candidato o índice de aceitação era de 3, 4 ou no máximo 5%, quando colocavam o seu nome esse índice subia para 30% ou 40% de aceitação. A cúpula do partido dizia que São Paulo precisava dele para candidato. Ele dizia que era contra reeleição, mas a população pedia que ele fosse reeleito. Acho que em Rio Verde não será diferente.
  1. Dizem que para se eleger a Deputado Estadual é necessário gastar milhões em reais. O Chico do KGL terá uma campanha milionária ou uma campanha com os pés no chão?
    Chico. Uma campanha com os pés no chão. Uma campanha tem gastos, mas aquele gasto natural que toda campanha tem. Se você pegar hoje na história do Brasil os candidatos que compraram eleição, que iniciaram na política comprando lideranças, vemos que eles têm muita dificuldade em permanecer na política, estão com muitas dificuldades financeiras ou com o nome sujo porque tiveram que fazer alguma besteira para recuperar esses gastos. Acredito que esse não é o papel do político. O político tem que ter propostas, tem que olhar para a população, passar confiança e trabalhar, não adianta você ficar fazendo politicagem, terminando uma eleição, entrando em outra e querendo ser o dono da verdade, se metendo na política a qualquer preço. Chegamos ao ponto que estamos na política devido aos exageros nos gastos em campanhas. O político que age desta maneira está perdendo espaço, veja o exemplo do Caiado, ele está em primeiro lugar nas pesquisas, sem dinheiro, enfrentando a máquina, conversando e ouvindo as pessoas.
  1. Chico, qual o seu principal compromisso com a população rio-verdense e goiana, caso você seja eleito deputado estadual?
    Chico.  Vou representar Rio Verde, vou representar o Estado de Goiás. A primeira coisa a fazer é terminar essas obras inacabadas. Vamos trazer de volta o fundo dos professores porque hoje eles estão passando por muitas dificuldades, não são valorizados, tiraram a ajuda para que pudessem se especializar e nós sabemos que país nenhum vai para frente se não investir na educação, na saúde e segurança, esses são os três pontos básicos. Então, terminando essas obras inacabadas, vamos trazer verbas para que possa ser entregue até 2019 o Hospital Materno Infantil, uma obra do prefeito, cujo projeto foi feito quando ele ainda era secretário de saúde. Esta obra está quase concluída, mas vai precisar de equipamentos e nós vamos estar buscando verbas do governo estadual e federal junto ao município. Essa é uma das obras mais importantes do sudoeste goiano, pois vai acabar com problemas de crianças que nascem prematuras, precisando de UTI neonatal e tratamentos especializados e que aqui não encontram e precisam ir às pressas para Goiânia. Aqui teremos atendimentos para a criança e a mãe vai poder ficar junto. Rio Verde está sendo replanejada, a primeira coisa que fizemos foi pegar a planta baixa da cidade e verificar quais são as possibilidades de esticar a cidade, pois tínhamos um cinturão, se você estivesse na região norte e quisesse ir para o centro, teria que passar pela Avenida João Bello, se quisesse voltar, não havia outra opção de caminho e hoje você anda por outros caminhos, temos a Avenida Paulo Roberto Cunha, a saída pela Kowalsk, no mine anel viário, já temos avanços e está sendo feito um replanejamento, a cidade, não tenha dúvida, vai melhorar e muitas coisas boas vêm por aí porque a nossa força é o trabalho. É isso que vai ser feito e se em 2019 tivermos um deputado estadual, um federal e um governador ao nosso lado, pode ter certeza que ninguém segura Rio Verde, nossa cidade será a rainha de Goiás, potencial nós temos para isto, basta trabalhar.

 

About Jesus Catarino

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *